Ataque de birra: Protesto ou manha???

Quem nunca antes de ser mãe, viu uma cenas dessas e pensou: "Isso nunca vai acontecer comigo!"

Mas para nosso desespero essas cenas do choro acontecem principalmente em lugares como shopping, parquinho... Os ataques de birras de nossos filhos sempre nos fazem pensar onde erramos? se é que erramos. Mas de um tempo para cá parei de pensar tanto nessa indagação, pois comecei a acreditar que esses ataques fazem parte do crescimento e desenvolvimento das crianças. Não que por causa disso eles passem a ser normais. Não, não mesmo! Mas comecei a não me sentir culpada ou envergonhada quando isso acontece.
Até mesmo porque nós sabemos que quando os ataques de birras surgem em lugares públicos, a primeira coisa que se passa na cabeça de quem está por fora é : " Essa mãe não tem autoridade" ou " onde está a mãe desse menino" ou " que coisa feia, a mãe dele não está vendo isso"...
A culpa é sempre dá mãe! Claro que não! Pois tudo o que desejamos são filhos lindos e obedientes... Mas o que será que se passa na cabecinha da criança quando ela resolve protestar ou fazer manha com seus ataques de choro muitas vezes acompanhados de "se jogar no chão"??? Como agir e reagir a esses ataques??? Ignora-los??? Ceder??? Chorar junto??? 

Pelo facebook, acabei recebendo uma proposta de apresentar um texto para vocês mamães  o Berçario Primetime Child Development muito gentilmente nos cedeu esse texto que trata justamente dos ataques de birras e é claro que eu resolvi compartilha-lo com vocês.
O texto foi escrito  por Christine Bruder, psicóloga e psicanalista do berçário em questão.

Como lidar com os ataques de “birra” de seu filho?

Ataques de “birra” são frequentes e normais durante as primeiras fases de vida de seu filho. Aprenda a lidar com isso de uma maneira produtiva

Ataques de birra fazem parte do processo normal de desenvolvimento, pois é difícil para uma criança pequena controlar fortes emoções. Quando elas se sentem frustradas, com raiva ou desapontadas, em geral se manifestam chorando, gritando ou batendo os pés com força no chão. Como pai, você pode ficar bravo, se sentir desamparado ou envergonhado.
Mas como foi dito, as birras são parte do desenvolvimento do seu filho à medida que ele aprende a controlar sentimentos e emoções. De fato, a maioria das crianças de 1 a 3 anos passa por este processo, às vezes conhecido como os “terrible twos” (terríveis 2 anos de idade), e, geralmente, ele acaba por volta dos 4 anos.
O que ocorre é que seu filho pequeno está ocupado aprendendo muitas coisas sobre o mundo. Está ansioso para assumir o controle, quer ser independente e pode tentar fazer mais do que suas habilidades permitem. Ele também quer fazer suas próprias escolhas e às vezes pode não lidar bem com a contrariedade. Isto se intensifica ainda mais quando ele se sente cansado, com fome, frustrado ou com medo. O autocontrole pode ser uma das lições mais difíceis que ele irá aprender ao longo de sua vida.

Como pai, você consegue, às vezes, perceber que seu filho vai perder o controle. Seu filho aparenta estar mal-humorado, irritado ou “difícil”. Ele pode começar a choramingar e se queixar. Pode parecer que nada o fará feliz. Por último, ele pode começa a chorar, chutar, gritar, se jogar no chão ou prender a respiração. Outras vezes, um ataque de birra pode parecer súbito e inesperado para você, mas certamente teve um “detonador” para a criança.
Mas você não deve se surpreender se seu filho tiver ataques de birra só na sua frente. Esta também pode ser uma forma encontrada por ele de testar as regras e limites ou receber a sua atenção. Nesse caso você pode ajudá-lo a encontrar formas mais eficientes de fazer isso, como se comunicar melhor, por exemplo.
“Não é produtivo tentar reprimir a criança por estar descontrolada. Ela está aprendendo a controlar suas emoções e o melhor que você pode fazer para ajudá-la é manter-se calma, explicar sucintamente a ela o porquê dela estar tão nervosa e ajudá-la a se acalmar. Não a ignore nem a deixe sozinha, se estiver em público leve a criança a um lugar reservado e espere ela se acalmar. Lembre-se que também é normal as crianças testarem as regras e limites estabelecidos pelos pais. Seja firme e não ceda diante do ataque de birra da criança. Com o passar do tempo ela vai aprendendo (com a sua ajuda) a lidar melhor com a frustração e as fortes emoções que isso acarreta” explica Christine Bruder, psicóloga e psicanalista do berçário Primetime Child Development.
Também não é indicado recompensar com presentes ou doces o seu filho por se acalmar. Isso pode dar a impressão a ele de que os ataques de birras são uma ferramenta de barganha. Você pode às vezes se sentir culpado por dizer não. Mas seja consistente e evite mandar sinais contraditórios. Quando os pais não exigem claramente o cumprimento de certas regras, é mais difícil para as crianças entenderem quais são e que são importantes. Pense cuidadosamente sobre cada regra que criar, e não crie regras demais.
Porém, quando os ataques de birra passam a ser intensos e acontecem com muita frequência, pode ser um sinal de problemas emocionais.  Fale com o pediatra se o seu filho se machucar, ou machucar outros; segurar a respiração até desmaiar, ou se esses ataques de birra piorarem após os 4 anos de idade.
“Aprender a administrar as próprias emoções faz parte do desenvolvimento sadio de toda criança. Os pais são importantes aliados nesse desenvolvimento ao procurar entender e validar os sentimentos das crianças antes de oferecer a eles formas mais adequadas de expressão. Os pais são modelos também, lembre-se que a reação dos pais frente ao ataque de birra da criança também ensina à criança como lidar com os próprios sentimentos.”, completa Christine.
 
Mamães e papais de plantão leiam o texto com atenção, se precisarem leia mais de uma vez, esse texto me ajudou bastante e me fez ter respostas para algumas indagações sobre as birras, não que lendo você irá encontrar a solução mágica de como acabar as birras, mas lendo-o você verá uma nova visão diferente da que a culpa é sua, que você não sabe educar e outras que escutamos.
Por aqui os ataques de birra continuam aparecendo, geralmente depois de um não! Mas comecei a perceber que esse meu não pode ser facilmente trocado por outras palavras que tenham o mesmo sentido mas que soem melhor ao ouvido do Lucas, como em vez de  "não pode mexer!" " Filho é tão lindo que vamos ver mais de perto para não precisar pega-lo!" Claro que nem sempre funciona, mas ajuda bastante!
E ai como está sendo os ataques de birra??? 
 
 

2 Comentários:

  1. nossa menina nem fale ,só nos maes sabe o que é passar por isso,mas tem que dar um crdito porque todas crianças fazem isso .hehehhehe faz parte
    bjs e ja estou te seguindo retribui se puder .
    http://keitygodoymake.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Nossa adorei o post o.O Nunca pensei que passaria por isso mais estou sim biah deu seu primeiro pity na rua esses dias e eu pirei hAUhsuhUhs bJOOOS!

    http://annabeatrizrafaela.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Amo quando você comenta! Sua opinião é muito importante e cada comentário muito especial!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...