7 Verdades sobre a vacinação


Olá mamães e papais!
Tudo bem com vocês? Espero que sim!



Hoje vamos falar de um assunto super importante na vida de nossos pequenos filhos, qu é a vacinação. Desde que nossos pequenos nascem sofrem com a vacinação, tanto por causa das agulhadas quanto as reações que as vezes eles têm. 

Muitas vezes percebo que a noticia da reação das vacinas são mais noticiadas pelas mães que a grande importância da vacinação. O que deixa nos mamães super preocupadas, mas antes de se impressionar por qualquer comentário, vamos conhecer a importância e os risco de cada vacinação.

1. A pontualidade faz diferença:
Tudo bem atrasar ou adiantar um pouco uma aplicação, mas evite. O calendário é calculado para proporcionar proteção máxima ao seu bebê,  inclusive nos reforços.  Há casos, porém, como o da catapora, comum na primavera, em que vale antecipar a vacina se o pediatra autorizar.
2. Se ele estiver gripado, não dê:
Gripes, alergias e pequenas indisposições não são motivo para adiar uma vacina. Mas o pequeno não deve ser imunizado se tiver febre ou algum problema mais grave, como pneumonia, infecção urinária e quadros virais que provoquem manchas vermelhas na pele. A vacinação também é contraindicada se a criança estiver usando medicamentos que baixam a imunidade, como corticoides. Na dúvida, consulte o pediatra antes de vacinar seu filho.
3. Reação não é sinal de "pega":
Com exceção da BCG intradérmica - que é dada ainda na maternidade e deixa uma marquinha na pele quando acontece a pega -, não se espera que nenhuma vacina dê sinais de que o sistema imunológico passou a produzir anticorpos contra a doença. Não há por que se preocupar. Afinal, as vacinas já foram testadas e se mostraram eficientes. Em situações especiais, exames de sangue podem verificar a proteção contra rubéola e hepatites A e B. Além disso, apenas de 10% a 15% das crianças apresentam reações - como febre, irritabilidade e dor de cabeça ou no local da picada - e, mesmo nelas, os efeitos são brandos.A maioria não tem nada, o que não significa que a vacina foi inútil. Se seu filho for do time que se ressente com a vacina, é fácil resolver. Faça compressas frias no local da picada até 24 horas depois da aplicação. Desse período para a frente, se o inchaço continuar, use compressa quente. Caso haja dor ou febre, pode dar o analgésico ou o antitérmico recomendado pelo pediatra. Mas nunca utilize esses medicamentos preventivamente, antes da vacina, pois eles interferem na ação da vacina.
4. Onde? A escolha é sua
Posto de saúde, clínica particular ou consultório do pediatra. Cada lugar tem suas vantagens e cabe a você optar de acordo com suas possibilidades e convicções. Nos postos, o benefício é o custo zero. "Mas, nas clínicas de vacinação e nos consultórios pediátricos, costuma haver versões mais completas ou que provocam menos reações do que as oferecidas pelo governo. Um exemplo é a vacina pneumocócica - os postos aplicam a 10-valente e as clínicas a 13-valente, que protege contra uma gama maior de bactérias causadoras de pneumonias e meningites. Seja qual for a escolha, é importante que o local seja bem higienizado, fiscalizado pela Vigilância Sanitária e que disponha de geladeira ou câmara com controle de temperatura para o armazenamento, além de mecanismo de proteção em caso de falta de energia. Em consultórios pediátricos, o médico deve ter credenciamento e alvará especial, emitidos pela Vigilância Sanitária, confira. Vacine seu filho sempre no mesmo lugar - assim, se a carteirinha dele se extraviar, é possível recuperar os registros sem ter de repetir a dose.
5. Juntar vacinas funciona
É fato: nenhuma criança gosta de tomar vacina. Não é à toa, portanto, que a combinação de diferentes imunizantes em uma única dose seja uma tendência, pois garante, com menos picadas, a mesma proteção que seu bebê teria tomando cada uma individualmente. O agrupamento, no entanto, só é possível quando a interação entre os componentes não interfere na eficiência de cada fórmula nem provoca efeitos colaterais.
6. Relaxe, a Sabin é segura
Talvez você tenha ficado ressabiada quando tempos atrás, veio a público o caso do menino de 1 ano e 4 meses, de Pouso Alegre (MG), que desenvolveu paralisia após receber a terceira dose da vacina antipoliomielite em gotas. Na época, o Ministério da Saúde esclareceu que casos de contaminação são raros e acontecem na proporção de 1 para cada 3 milhões de doses aplicadas. Anunciou também que estudava a substituição da vacina em gotas, Sabin, pela injetável, Salk, na imunização de bebês no primeiro semestre de vida, os mais vulneráveis. Mudança feita! Os postos de saúde vão aplicar a pólio injetável em crianças que iniciam o processo de imunização. Para as demais e nas campanhas, continuam as gotinhas. A diferença é que a vacina injetável usa o vírus inativo, menos agressivo do que o vírus atenuado da versão oral. Nas clínicas particulares, a injetável já é oferecida conjugada com a pentavalente.
7. Quando aderir às campanhas
O objetivo da vacinação em massa é formar uma muralha de proteção imunológica para que, se alguém for contaminado fora do país, a doença não se espalhe. Se seu filho está com a vacinação em dia, a participação fica a seu critério. Caso ele tenha recebido uma vacina recente, não existe risco em imunizá-lo contra a mesma doença.O único reforço que sempre aconselhamos é o da Sabin. Nem tanto por um cuidado pessoal, mas para proteção da comunidade. O vírus da vacina, enfraquecido, se espalha pela população, criando uma imunização indireta, benéfica a todos.



Sei, que nós mães, não gostamos de ver nossos filhotes sofrer com as picadas e as reações das vacinas, mas esse é um ato de puro amor e importância na vida de nossos filhos, pois assim protegemos eles e cuidamos da saúde que é o mais importante.

Então não tenha medo e nem receios e vamos vacinar sempre!



Beijos e até mais!





12 Comentários:

  1. Adorei as dicas. Aqui sempre a caderneta esta em dia. Bjs
    Vivi e isaac

    ResponderExcluir
  2. Adorei seu post Tatty!!
    Muito boas explicações.
    Bjs!!

    Carlah Ventura
    Blog:Intensa Vida

    ResponderExcluir
  3. sim vacinação é muito importante
    as crianças tem que tomar
    e amei saber mais
    sobre essa importância

    linda tarde bjs

    http://sermamaepelasegundavez.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Tatty adorei o post, tento sempre manter a vacina das meninas em dias e participar das campanhas.

    Tri-beijos Desirée
    http://astrigemeasdemanaus.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Muito bacana o post!
    Adorei!
    Beijos
    Chris
    http://inventandocomamamae.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. adorei vacina é sempre importante
    beijos
    onossonude.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Adorei o post... Por aqui sempre mantive o calendário de vacinas em dia, e o melhor, Lohany nunca teve nenhuma reação :)
    beijos

    ResponderExcluir
  8. nao sabia sobre a sabin, por isso adora o blog das amigas fico sabendo o que as crianças nao me deixam ver na tv kkk

    beijo

    ResponderExcluir
  9. Obrigada a todos os comentários e o carinho de cada uma de vocês!
    Voltem sempre! Bjos

    ResponderExcluir
  10. Amiga, concordo com vc em todos os quesitos.
    Vacina tem q ser pontual, precisamos aderir as campanhas pois é o melhor para os filhootes, bjss

    ResponderExcluir
  11. òtimas dicas!! esclareceu algumas dúvidas!
    Aqui estamos sempre atentos ao caderninho de vacinações para não atrasar!!
    beijinhos

    www.aprendendoasermaehoje.com

    ResponderExcluir

Amo quando você comenta! Sua opinião é muito importante e cada comentário muito especial!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...