Assuntos polêmicos na maternidade

Coisas que quase ninguém fala.


No mundo materno assim como em qualquer outro "mundo" existem aquelas assuntos que sempre rola um certo estresse quando iniciado em um grupo. Muitas vezes por questão de não querer esticar assunto resolvemos nos calar e não expressar nossa verdadeira opinião com medo da represaria. Infelizmente nós mães não somos unidas. 

É triste, mas é real. Estamos sempre em busca de fazer nossa propaganda ,sermos as melhores mães e nossos filhos as melhores crianças, mas nem sempre é assim. Até mesmo porque é i-m-p-o-s-s-í-v-e-l ser a melhor mãe , não somos super! 

Por muito tempo me calei em assuntos da maternidade por medo de não ser compreendida ou talvez de ser julgada. O problema é que o que é super normal para mim pode ser totalmente anormal para você. Então, por favor, caso você não consiga ler "ouvir" opiniões diferentes não continue essa postagem. Aqui você encontrará minha opinião sobre vários assuntos, não é a verdade absoluta, ok?

Parto

Talvez esse seja o tema mais comentado e discutido quando o assunto é polemica entre mães. A escolha do tipo de parto deveria pertencer somente a mãe, o pai e o médico... mas a falta de respeito na escolha causa a maior discussão em grupos maternos.

Eu nunca, leia nunca mesmo, quis ter filho de parto normal. Porque? Por que nunca me vi tendo filho dessa forma, sou totalmente a versa a dor  e apesar da minha médica ter me aconselhado muito a tentar na minha última gestação e de eu ter lido muito sobre, decidir ter duas cesáreas.  É a maneira correta de ter filho? minha resposta é: É minha maneira correta de ter filho e não a sua.

Eu tenho total certeza que o parto normal é muito melhor, mas tenho total certeza de que sou mole demais para aguentar. Se posso não sentir dor melhor né? Lembrando que esse é o meu tipo escolhido e não estou indicando ninguém!

Amamentação

Passei muitos anos me crucificando por não ter conseguido amamentar meu primeiro filho como queria, fui para a maternidade do segundo com a lata de leite em casa, não queria me frustar novamente, mas como os planos de DEUS não são os nossos, amamentei meu segundo filho por 1 ano.

Mas eu confesso que antes de conseguir amamentar Samuel tinha um verdadeiro pavor em falar sobre isso e até de ver uma mulher amamentando, eu me lembrava logo da dor, do sangue, do choro e do meu sofrimento.

Sempre tive a consciência que a amamentação é o alimento certo para o bebê, mas meu pavor era tanto que não queria nem tentar. O fato é que Lucas mamou pouquíssimo e teve as mesmas crises alérgicas do Samuel que mamou bastante. Sobre a saúde eu não percebi muito diferença entre os dois, mas Samuel que mamou é bem mais dengoso e grude comigo, isso é fato.

Concluindo eu não crucifico ninguém que não quer amamentar, não dou conselhos positivos e nem negativos nesse ponto, quando alguém me pergunta eu mostro o quanto foi prazeroso alimentar meu bebê até o sexto mês exclusivamente e continuar até 1 ano.


Birras

Me poupe, nos poupe e se poupe em falar que seu filho nunca vez uma birra na vida. Se ele nasceu criança, que é óbvio que nasceu, com certeza ele já fez ou fará birra.

Birra é algo comum na infância assim como os resfriados. Lucas foi muito birrenta, Samuel bem mais tranquilo, mas eles são crianças, choram, gritam e já se jogaram no chão várias vezes. Isso é bonito? Claro que não! sempre procuro conversar nas crises de birra, mas também já teve casos que sair de perto e esperei a birra passar.

Nunca julgue uma mãe pelo um momento de birra do filho, nunca julgue uma criança de mal educada por um descontrole de momento. Se nós adultos as vezes perdemos o controle da situação e nos estressemos, porque as crianças não podem?

Claro que a birra deve ser controlada, claro que devemos mostrar que birras não leva a lugar nenhum, claro que devemos repreender.. mas birras são as formas que muitas vezes eles encontram de de expressar quando não acham as palavras corretas.

Parem de olhar torto para uma mãe com filho birrento! 

Casa bagunçada


Não tenho secretária em casa, primeiro porque não gosto, segundo porque ainda não tenho a necessidade de ter já que passo o dia quase todo na loja, mas confesso que nem sempre quando você chegar na minha casa ela estará super arrumadinha.

Os brinquedos fazem parte da decoração da minha sala, volta e meia é possível esbarrar ou pisar em cima de um. Isso já me causou muita tristeza, mas é uma fase e ela passa, sei que chegará o dia em que terei saudade desses brinquedos espalhados pelo chão.

Eu dedico o tempo de qualidade aos meninos mesmo que isso faça com que a casa fique para ser arrumada a noite quando eles já dormem ou espere o fim de semana para dá a "geral" . Fique boba quando vejo em grupos maternos mães comentando sobre a bagunça da casa da vizinha por está sempre cheia de brinquedos.

Lembre-se a louça pode esperar um pouco para ser lavada, as roupas podem esperar um pouco para ser passadas, o chão pode esperar um pouco para ser varrido, mas a infância, há a infância... ela não espera! Ela passa sem dor nem piedade com nossos corações e passa rápido! 

Chupeta


Meus dois meninos usaram chupeta e os dois largaram logo após completarem dois anos. Eu usava a chupeta, ou melhor, usava neles como calmante mesmo. Sempre que eles estavam mais agitados e birrentos a chupeta ia para a boca. Fato! 

Não por falta de paciência, mas para não ver a cara feia do vizinho da igreja, na shopping, nos restaurante ou nas filas. 

Não vejo a chupeta como uma inimiga das crianças, li muito sobre os prejuízos na alimentação e dentição, mas creio que como minha mãe diz: Tudo demais é veneno. Temos que saber o momento correto de tirar

Paciência 


Paciência deveria ser o sobrenome de todas as mães, pois se tem algo que a maternidade nos ensinar e ter paciência. Paciência pelo positivo, paciência pela descoberta do sexo, paciência para começar a arrumar o quartinho, paciência pelos enjoos, paciência pelos 9 meses, paciência pelas primeiras palavras, paciência primeiros passos ... paciência nas birras, paciências em ensinar as tarefas escolares... paciência... paciência.

Porém apesar de sempre estarmos testando nosso paciência, as vezes ela se esconde muito bem. Quem nunca perdeu a paciência com o filho que atire a primeira pedra! Perder a paciência é diferente de ser grosseira e entrar na violência, lembre-se disso. 

Peia

Não sei como se chama na sua cidade, mas aqui peia é quando a criança apanha dos pais, eu sou totalmente contra bater em criança, para mim quando os pais chegam a esse ponto precisam urgentemente de ajuda. 

Eu ainda sou a favor de conversar, colocar de castigo, tirar o que a criança gosta, enfim... qualquer outro método que não seja bater. Acredito muito que a violência gere violência.

Por hoje é só! Você tem algum relato ou algum outro assunto polemico ? deixe nos comentário sua opinião, mas lembre-se de do respeito. 



Jamilly Lima

2 comentários:

  1. Simplesmente adorei o post!
    Como ainda sou gestante meu "problema" por enquanto é o parto!
    Tb sempre quis cesária, mas o povinho chato que vive tentando mudar a minha cabeça! Pra mim o melhor parto é o que eu vou me sentir melhor, não adianta eu fazer um parto normal sendo que eu não estarei emocionalmente preparada pra isso e ficarei tensa o tempo inteiro!
    Enfim... mas pra frente venho contar se passei por esses outros assuntos rs
    Já estou te seguindo!
    Bjus
    Taty
    Na Casa dos Abrantes
    Canal
    Instagram

    ResponderExcluir
  2. É verdade, esses assuntos são super polêmicos, então tenho minhas opiniões e respeito as de outras mães.

    Beijos

    Quézia Silva
    http://kemuelpresentededeus.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Amo quando você comenta! Sua opinião é muito importante e cada comentário muito especial!!

Instagram